Blog do Rodrigo Westarb

A história do Brasil mora nos confins dos palácios de Vienna, na Áustria

 

Hoje iremos falar sobre o Palácio Austríaco de Schönbrunn, ou em alemão, Schloss Schönbrunn: A capital da Áustria Vienna (Wien) é uma das mais belas cidades do mundo, famosa pela herança dos grandes Palácios do Império Austro-Húngaro, também conhecida pela sua qualidade de vida que pelo sexto ano seguido lidera o ranking Internacional.

 

Schönbrunn até o momento foi o maior Palácio que já tive a oportunidade de conhecer, ele é chamado pelos austríacos de “Versalhes Vienense” por ser grandioso e imponente, seus 1400 aposentos serviam a grande família real austríaca de “Habsburg”, todos os móveis foram produzidos com a madeira do pau brasil, sim, tanto o ouro quanto a madeira vieram do Brasil. Apenas 40 cômodos estão abertos para visitação, mesmo assim podemos observar o estilo interno em “rococó” com seus traços folhados a ouro, faustosos e luxuosos.

 

O mais interessante do Palácio de Schönbrunn, é o entrelace da história do nosso país, o Brasil, foi a arquiduquesa Leopoldina, a nossa D. Leopoldina, que se criou lá e foi uma das pessoas mais importantes do processo de independência do Brasil. Foi ela que, em 1822 como chefe interina do governo, reuniu-se com o Conselho de Estado, assinando o decreto da Independência, declarando o Brasil separado de Portugal. Leopoldina, era uma das filhas do imperador Francisco II que casou com Pedro I, e se tornou a primeira imperatriz do Brasil. (Francisco II, foi imperador e casou em 1788 com Elisabeth Guilhermina Luísa de Wurttemberg do Império Austro-Hungaro).

 

 

 

Bom, vamos a diante…

O Palácio de Schönbrunn é praticamente um parque “ecoturístico”, lá você encontra trilhas, labirintos feitos de grandes árvores e arbustos, os jardins são estilo francês, foram projetados por Jean Tréhet, um “paisagista” muito famoso do século 17, infelizmente não tenho a informação do tamanho das áreas dos jardins, mas acredite, são imensos!

 

O que mais me chamava atenção era a quantidade de funcionários que trabalhavam dia e noite na conservação desse “monstro” da arquitetura clássica, manter o palácio da forma que é mantido, com certeza só com muito trabalho mesmo.  O ingresso da entrada no Palácio foi de 14 Euros.

 

No verão europeu de 2013 quando viajei a Áustria eu não poderia imaginar a imensidão e a perfeição do Schloss Schönbrunn; eu reservei um Hotel apenas 3 quadras do Palácio, para ficar próximo do bairro de Moedling, não me arrependi nenhum pouco, mesmo “longe” do centro de Vienna, aproveitei da mesma forma, pois o transporte público funciona absurdamente muito bem, eu estava a 100 m de uma estação de metrô, o bonde elétrico e ônibus passavam na rua frontal ao Hotel.

 

 

Durante os dias de minha estada em Vienna, como de costume eu praticava a minha corrida “noturna” todo fim de tarde nas trilhas do Schönbrunn, me refiro a corrida noturna por conta de um pequeno detalhe: o pôr do Sol no verão do leste Europeu acontece neste horário, por volta das 21h ainda era dia, lá o verão é conhecido pelos dias longos. Independentemente das preferências de cada um, com certeza o “Versalles Vienense” agrada a todos os gostos e estilos; com uma rica cultura histórica Schönbrunn e Áustria te aguardam!

 

 

VER PRIMEIRO

Agora, que tal seguir o nosso Twitter e curtir a nossa página no Facebook? Para que você possa continuar acompanhando os melhores posts sobre Rio Negro e Mafra, diariamente, em suas redes sociais.

  • O BRASIL COMEÇOU NA ÁUSTRIA. LEOPOLDINA ERA MAIS ESPERTA QUE D. PEDRO. D. PEDRO FEZ JUS A FAMA DOS PORTUGUESES DE “BURROS”.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *