Mafra

Aterros sanitários protegem ambiente de contaminação

 

Todos os dias, milhares de resíduos são produzidos no Brasil. Comumente chamado de lixo, os resíduos que produzimos em casa tem data e horário para serem recolhidos. Em Mafra, o destino é o Aterro Sanitário, localizado no bairro São Lourenço.

 

Diferentemente do modelo antigo de lixão, que agride o solo e o meio ambiente, o modelo atual de aterro sanitário está de acordo com as leis ambientais e é por isso que protege o meio ambiente.

 

Antes que o lixo chegue no aterro, a preparação começa com a terraplanagem do local. Em seguida, é feita a impermeabilização do solo, com uma manta de polietileno, evitando o contato direto do solo com o lixo.

 

 

Além disso, são instaladas tubulações, chamadas de drenos, para captação e tratamento de chorume e gás. O chorume (que é o líquido proveniente da decomposição dos resíduos) é captado e direcionado até uma estação de tratamento. Já o gás gerado, conhecido como gás metano (CH4), principal causador do efeito estufa, é queimado nos drenos de gás, e deixa de ser gás metano, passando a ser gás carbônico (CO2), que é menos prejudicial para atmosfera.

 

As construções dos aterros são pautadas em normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Ainda seguindo as normas, há poços de monitoramento abertos próximo aos aterros para que se avalie constantemente a qualidade da água e haja verificação de eventuais contaminações.

 

Já o lixão, não tem nenhum desses controles. Os resíduos apenas são depositados a céu aberto, sem a preparação adequada do terreno. Com isso, há a contaminação do solo, das águas e do ar. O que significa que nos lixões os resíduos de residências, indústrias, e hospitais, são simplesmente jogados em grandes depósitos. Além de todos esses problemas, a maioria dos lixões são clandestinos.

 

 

Embora os mafrenses não precisem se preocupar com o modelo antigo de lixão, vale ressaltar que o Aterro Sanitário é necessário para o processamento correto do lixo produzido pela população.

 

– Continua após a publicidade –

 

VER PRIMEIRO

Agora, que tal seguir o nosso Instagram, Twitter ou curtir a nossa página no Facebook? Para que você possa continuar acompanhando os melhores posts sobre Rio Negro e Mafra, diariamente, em suas redes sociais.