Minha opinião

Desde quando existe a corrupção?

Desde quando existe a corrupção? Tal resposta consta do antigo testamento. A corrupção, segundo a Bíblia, tem origem na expulsão de Adão e Eva do paraíso, mas acredito eu, que ela anteceda esta data, embora nada tenha pesquisado.

 

Não sei quantos anos o primeiro casal viveu no paraíso. Sei apenas que foram expulsos, pois Adão foi corrompido pela serpente. Esta teria sido o agente ativo do ato corruptivo e Adão o agente passivo. Eva, por sua vez fora coparticipe do ato. Tenho para mim, que foi neste dia que nasceu a corrupção.

 

– Continua após a publicidade –

 

Todavia, não posso esquecer que Caim matou Abel, segundo aprendi. Se juntarmos a corrupção e a inveja, vamos ter a ganância, fator que transforma o ser humano numa víbora. Foi isso que levou Jesus Cristo à morte na Cruz.

 

Jesus não foi corrompido. Ele era homem de caráter e personalidade firme e não aceitou as ofertas do demônio. Quando ainda estava caminhando pelo deserto, foi tentado, mas Ele, o filho de Deus, desprovido de maldade, inveja e ganância, repudiou o demônio e cumpriu com sua missão. Neste domingo comemoramos a sua ressurreição, após termos celebrado com tristeza e dor, sua paixão e morte na Cruz.

 

Abel fora vítima da inveja de Caim, seu irmão. Cristo fora vítima da inveja e da ganância dos sumos sacerdotes. Foi Anás, o sogro de Caifás, quem induziu a massa ignara a clamar pela libertação de Barrabás.

 

É na história antiga que encontramos os primeiros atos de corrupção. O mesmo que aconteceu com Neffert, o glorioso que liderou por muitos anos o lugar da verdade. Ele foi traído porque jurava lealdade à causa dos moradores daquele local nos tempos dos Faraós.

 

Estamos celebrando esta semana a ressurreição de Jesus Cristo, assassinado de forma vil, porque a ganância dos sumos sacerdotes e o apego pelo poder do Rei Herodes e do regente Poncio Pilatos foi mais forte que o caráter, honradez e dignidade, se é que tinham alguma.

 

Jesus Cristo não se rendeu às promessas falsas e corruptas daqueles que muito lhe prometiam, mas nada de útil iria fazer. Da mesma forma o juiz Sérgio Moro não se rendeu às ameaças e também não vergou coluna.

 

Jesus Cristo ressuscitou e se apresentou aos apóstolos deles, se despediu e depois ascendeu ao céu para viver na glória ao lado de seu pai. Nós que nele confiamos, procuramos seguir seus ensinamentos, mas no mundo que vivemos, temos consciência que não chegaremos a ser um átomo daquilo que ele foi.

 

Pois bem, nos alegremos com esta data, o dia em que Cristo foi ressuscitado. Que nos lembremos de seus ensinamentos e marchemos em busca da perfeição, tentando sempre cumprir a missão que nos foi dada pelo Criador iniciado.

 

Não vamos esquecer que não rumamos para o monte Calvário. Lembremo-nos, porém, que se não seguirmos a cartilha que trouxemos quando nascemos, aqui iremos voltar encarnados em outro corpo que nos servirá de veículo.

 

Esclareço, nós somos apenas um espírito em busca da perfeição. Nosso corpo material é o veículo que conduz o espirito, por isso, por vezes ele falha, adoece, sente dor e quando chegar o dia pré-agendado pelo Criador, o espírito se desprenderá do corpo e irá prestar contas ao Pai maior. Já o corpo, este se não for cremado, servirá de alimento para os vermes ou pasto aos abutres.

 

Escrevi tudo isso para dizer que devemos lutar para acabar com os abutres que tornam nossas vidas mais amargas e às vezes nos impedem de cumprir a missão para qual aqui viemos.

 

Refiro-me aos gananciosos e corruptos, que valendo-se de sua astúcia e poder, manipulam os mais fracos. Estes, diferentemente de Jesus Cristo que disseminou a fé, a justiça e a verdade, semeiam a ignorância, a fome e a miséria em troca de uma vida de opulência.

 

Neste domingo, por um momento, façamos uma pequena meditação e relembremos que Jesus Cristo é nosso rei, porque ele cumpriu com galhardia a missão na terra, e que no Brasil, Sérgio Moro é nosso princípio, porque foi ele quem garimpou o lodo da corrupção, os falsos defensores da lei, da moral, da ética e até porque não dizer da fé, pois muitos deles se valem para atingir os seus desígnios infames.

 

Louvado seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

 

Em tempo, o conto de Pedrinho e Clodoaldo terá sequência na próxima semana.

 

A lamentar: Os remendos nas pistas de rolamento em nossas vias públicas estão um absurdo. Em outros tempos éramos a capital dos buracos, hoje somente a cidade das ruas remendadas. Fica a pergunta, para onde vão os recursos do IPTU e os repasses recebidos com o recolhimento do IPVA?

 

E o projeto de lei que proíbe os artistas de rua de trabalhar? Outro absurdo! Logo será apresentado outro projeto proibindo andarilhos de pedir dinheiro. Coisas da nossa Câmara Municipal, onde um vereador afirmou recentemente, que o termo playground é uma palavra do vocabulário alemão. Quem não sabe, pergunta. Esse é o elevado nível de nossos representantes.

 

VER PRIMEIRO

Agora, que tal seguir o nosso Instagram, Twitter ou curtir a nossa página no Facebook? Para que você possa continuar acompanhando os melhores posts sobre Rio Negro e Mafra, diariamente, em suas redes sociais.