Mafra

Feira popular oferece variedade de produtos da agricultura familiar, em Mafra

 

Quem passa pela Praça Lauro Müller, no Alto de Mafra, nas manhãs de sábado pode encontrar hortaliças, frutas, verduras, legumes, queijos, embutidos, mel, pão caseiro, bolachas, cucas, geleias, aluske, pirogue e demais produtos da cozinha colonial e da horta. A feira conta com nove barracas com os mais variados produtos.

 

Nas quintas-feiras, o pátio do Auto Posto Vila Nova e nas sextas-feiras, o pátio da Igreja Santo Antônio, no Jardim América, também oferecem produtos diretamente do produtor. O horário das feiras é das 7 às 11 horas, porém, na Vila Nova, o horário estende-se até às 17 horas.

 

– Continua após a publicidade –

 

Feira popular

A feira popular é um convênio realizado pela secretaria de Assistência Social e Habitação com o Ministério da Cidadania por meio da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social.

 

A feira tem o objetivo de proporcionar a inserção do agricultor familiar no mercado de trabalho e possibilitar a geração de renda, além de disponibilizar alimentos saudáveis a preços acessíveis.

 

São parceiros do projeto o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Cooperativa Agropecuária Regional de Pequenos Agricultores e Associação Central de Pequenos Agricultores de Mafra.

 

 

Palavra do feirante

Ana Lúcia Righi e seu marido José Silveira de Alves, da Fazenda do Potreiro, trabalham com os demais membros de sua família na produção de defumados, linguiças, pães, queijos e verduras.

 

Eles formam uma das famílias pioneiras na feira, que há mais de oito anos, atendem os consumidores. “No início do mês vendemos mais, mas não podemos reclamar. Sempre vendemos bem. As três famílias sobrevivem disso”, contou Ana Lúcia. Ela lembrou que num dia chega a vender de 15 a 20 pães caseiros, além dos demais produtos ofertados. “Queremos aumentar nossa produção e estamos pensando em produzirmos também bolachas caseiras”.

 

Um dos clientes assíduos nas quintas-feiras é Jorge Luiz Linke, morador da Vila Nova, que disse frequentar há anos a feirinha. “Moro perto, então é prático vir até a feira. Os produtos são bons e sempre compro alguma coisa”, contou.

 

Cadastro

O produtor que tiver interesse em participar da feira, deve possuir número do Cadastro Único (sem necessariamente estar dentro de algum Programa de Transferência de Renda) e apresentar Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (DAP) – que comprove ser agricultor familiar.

 

VER PRIMEIRO

Agora, que tal seguir o nosso Instagram, Twitter ou curtir a nossa página no Facebook? Para que você possa continuar acompanhando os melhores posts sobre Rio Negro e Mafra, diariamente, em suas redes sociais.