Mafra

Mafra se mobiliza contra exploração sexual de crianças neste sábado

 

Mafra se mobiliza novamente para combater o abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Neste sábado (18), a equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) realizará a distribuição de panfletos na Praça Lauro Müller como forma de conscientização, das 9 horas às 11h30. Atualmente o Creas acompanha 56 famílias com crianças e adolescentes, vítimas de algum tipo de violência.

 

Como todos os anos, flores amarelas foram colocadas nos canteiros, parques e praças da cidade como símbolo da campanha.

 

– Continua após a publicidade –

Apoio

Para atendimento dos encaminhamentos, o Creas conta com uma equipe de profissionais composta por uma coordenadora, duas psicólogas, uma assistente social, um motorista e duas estagiárias. O equipamento social fica localizado na Rua Tupinambás, nº 100, com atendimento de segunda a sexta-feira das 8 às 12 horas e das 13h30 às 17 horas.

 

 

No Brasil

Segundo boletim epidemiológico, entre 2011 e 2017, o Brasil teve um aumento de 83% nas notificações gerais de violências sexuais contra crianças e adolescentes. No período foram notificados 184.524 casos de violência sexual, sendo 58.037 (31,5%) contra crianças e 83.068 (45,0%) contra adolescentes. O relatório completo pode ser acessado aqui.

 

18 de maio

 A data foi escolhida como dia de mobilização contra a violência sexual porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade.

 

A proposta do “18 de maio” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa aos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livre do abuso e da exploração sexual.

 

Disque 100 para denunciar

A secretaria de Assistência Social e o Creas destacam que para proteção das crianças e adolescentes em situação de risco, além da prevenção, é preciso que os casos sejam denunciados. Portanto, em qualquer suspeita de caso de violência sexual infantil, deve-se procurar o conselho tutelar, as delegacias especializadas, as polícias militar, federal ou rodoviária e/ou ligar para o Disque Denúncia Nacional, de número 100.

 

VER PRIMEIRO

Agora, que tal seguir o nosso Instagram, Twitter ou curtir a nossa página no Facebook? Para que você possa continuar acompanhando os melhores posts sobre Rio Negro e Mafra, diariamente, em suas redes sociais.