Conexão Planeta

O sofrimento de um cão acorrentado

 

Fico ainda perplexa de, nos dias de hoje, me sentir na obrigação de debater um assunto de que muitas pessoas já deveriam ter conhecimento e sensibilização: a empatia das pessoas com seus animais de estimação. Me sinto no dever de apesentar o problema em questão mesmo para aqueles leigos no assunto, que defendem o aprisionamento de seus cães sob um discurso de “boas” intenções.

 

Infelizmente esse é o cotidiano de muitos animais, principalmente os cachorros, que ficam aprisionados em correntes por 24 horas e não recebem a atenção que merecem. Consequentemente, sua expectativa de vida é reduzida à metade. Os donos desses mesmos cães alegam que o aprisionamento se deve a uma causa maior, talvez pelo fato de latidos excessivos, brigas com outros animais ou até mesmo a sua ferocidade. Contudo, esses mesmos fatores não justificam a privação de liberdade de seres tão inocentes.

 

– Continua após a publicidade –

 

 

Ao não ter suas necessidades básicas atendidas, fatores fisiológicos acompanham as vítimas do aprisionamento. Para começar, os cães são animais gregários, o que significa que precisam da companhia de outros indivíduos (o bando). Se você o isola e o amarra longe de casa, o animal entenderá que fez algo errado e ficará triste e deprimido. Além disso, aumentará seu nível de estresse ficando cada vez mais agressivo.

 

A questão principal que se observa, é que animais de estimação não servem para serem explorados e usados como “guardiões de residências”, mas sim como membros da família. Eles merecem ter um espaço para se locomover de forma digna; aliás, não é porque estamos falando de um animal, que devemos ignorar suas capacidades e necessidades físicas, pensando que são inexistentes. Essa escolha péssima de acorrentar ao invés de treinar e ensinar comportamentos adequados gera uma vida totalmente desagradável para esses seres e todos à sua volta.

 

Uma lei referente à privação de liberdade de cães listada como maus-tratos já entrou em vigor na cidade de Florianópolis. A lei prevê multa e, em certos casos, até a detenção. Esse tipo de legislação deveria ser implantada em todo território nacional, para que possamos falar por aqueles que não têm voz!

 

 

OBRIGADO POR LER

AS NOTÍCIAS DO RIOMAFRA MIX

 

Com apenas R$ 16,00/mês você recebe em casa o jornal impresso e ainda patrocina o jornalismo com independência e credibilidade. Assine e receba em sua casa o melhor conteúdo!