Dicas de Português

O professor Elvys Milde da Silva dá dicas, tira dúvidas e traz informações sobre a Língua Portuguesa.

Conheça a origem de palavras e expressões da Língua Portuguesa

Descubra a origem das palavras “vodca”, “volt”, “vilão” e “voto”.

Olá pessoal, tudo bem? Na coluna de hoje iremos revisar alguns termos e vocabulários importantes na Língua Portuguesa. Saber o significado e a origem das palavras/expressões auxilia no entendimento do idioma. Vamos lá!

 

Vodca:

Do russo vodka, que é o diminutivo de voda, água. Ou seja, vodca é aguinha. Talvez aí esteja a explicação para os índices históricos de alcoolismo na Rússia. O cossaco entrava num bar de Moscou com uma sede danada, pedia uma aguinha e, pronto, lá vinha aquela aguinha russa. No primeiro gole, ele estranhava, mas no segundo já começava a ouvir uma balalaica e ia em frente.

 

Volt:

Do francês volt. A designação dessa unidade de medida internacional veio do nome do físico italiano Alessandro Volta (1745-1827), que fabricou a primeira pilha elétrica. Outra unidade de medida no campo da eletricidade, o ampere, veio do francês ampère, termo oficializado pelo Congresso dos Eletricistas realizado em Paris, em 1881, em homenagem póstuma ao matemático e físico francês André Marie Ampère (1775-1836), o fundador da eletrodinâmica.

 

Vilão:

Do latim villanu, habitante de vila ou de casa de campo. Em português, vilão tinha inicialmente esse sentido. Depois, por sua oposição ao aristocrata e ao homem da cidade, vilão virou sinônimo de plebeu. Finalmente, pela condição rústica do morador do campo e talvez por influência da palavra vil, ganhou o sentido de canalha.

 

Voto:

Do latim, votu, particípio do verbo vovere, que tinha o sentido inicial de fazer uma promessa a um deus. Ora, toda promessa, na verdade, é um contrato sagrado entre duas partes, com ou sem testemunha, firma reconhecida no céus e cláusula única: o Senhor me atende, eu retribuo e revogam-se todas as disposições em contrário. Assim, não foi difícil o verbo vovere ganhar também o significado de desejar. Depois, no século XV, foram os ingleses que deram à palavra vote o matiz político, passando a exprimir o desejo de um membro do legislativo ou de um eleitor. Daí ganhou o mundo.

 

Voltando ao latim: de vovere se derivou o verbo devovere, consagrar inteiramente aos deuses, cujo particípio devotu deu outra palavra em português: devoto.

error: O conteúdo é de exclusividade do Riomafra Mix.