O placar desfavorável de Bielecki

A semana não foi das melhores para o prefeito Wellington Bielecki. Na última sessão ordinária remota da Câmara de Vereadores,

A semana não foi das melhores para o prefeito Wellington Bielecki. Na última sessão ordinária remota da Câmara de Vereadores, realizada na noite de terça-feira (28), o Executivo sofreu uma inesperada derrota.

Foram nove votos contrários e apenas dois favoráveis ao projeto de lei que aumentava o percentual de 11% para 14% da contribuição previdenciária paga pelos servidores mafrenses. A ideia era equiparar os percentuais aos que já são aplicados pelo Governo do Estado.

Votada em 2019 pela pelo Congresso Nacional, a Reforma da Previdência deve ser decidida para os municípios (pelas Câmaras de Vereadores) e para os estados (pelas Assembleias Legislativas).

Nos últimos três anos e meio do atual governo, o município de Mafra nunca pagou a contribuição patronal devida ao Instituto de Previdência dos Servidores (IPMM). Apesar da ‘inadimplência’ com sua responsabilidade na cota patronal, o Executivo buscava aumentar a contribuição de todos os servidores.

O que chamou atenção mesmo não foi apenas a votação contrária ao projeto, mas a dura derrota, que estremeceu os bastidores políticos. Afinal, até agora, praticamente todos os projetos do Executivo foram aprovados com a maioria dos votos da Casa.

Os votos

Ao contrário do que se propagou nos últimos dias, a derrota na votação do projeto sobre a contribuição previdenciária foi de 9 a 2. E não 11 a 2.

Adilson Sabatke (DEM) e Cirineu Cardoso (PSD) votaram a favor do projeto os vereadores. Os votos contrários foram dos vereadores: Abel Bicheski (SD), Claudia Buss (MDB), Dimas Humenhuk (PL), Edenilson Schelbauer (PL), Elcion Peters (PSL), José Marcos Witt (PDT), Marise Valério (MDB), Valdir Sokolski (PSB) e Vanderlei Peters (PSL).

O presidente, Eder Gielgen (MDB) não votou. E, por problemas técnicos, o vereador João Carlos Reiser (PSL) não pode votar.

Um comentário em “O placar desfavorável de Bielecki

  • 2 de agosto de 2020 em 10:07
    Permalink

    Excelente reportagem ,parabéns aos envolvidos , relatando somente o que aconteceu , jornalismo eficiente e honesto .

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *