Com candidatura impugnada, Paulinho Dutra dispara: “fui vítima de politicagem baixa”

A impugnação foi pautada na rejeição das contas quando temporariamente foi prefeito, entre março e dezembro de 2012.

Continua após a Publicidade

Nesta semana, o ex-prefeito Paulo Sérgio Dutra, popular Paulinho Dutra, candidato a vereador em Mafra pelo Democratas, teve sua candidatura impugnada.

 

A impugnação foi solicitada recentemente pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e na última terça-feira (13) foi emitida sentença desfavorável pelo juiz da 22ª Zona Eleitoral de Mafra.

 

O indeferimento do registro de candidatura foi pautado na rejeição de suas contas durante o exercício temporário do cargo de prefeito, entre março e dezembro de 2012, quando assumiu a Prefeitura após a cassação de Jango Herbst.

 

Defesa

Ao Riomafra Mix, Paulinho Dutra disse que está recorrendo da decisão no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/SC) e alega que o julgamento das contas pela Câmara de Vereadores teve uma série de erros.

 

“Fui vítima de politicagem baixa. O parecer do Tribunal de Contas (TCE) teve dois pedidos de reanálise, e todos vieram pela aprovação das contas. Mas a Câmara separou minhas contas das do Jango, aprovou as dele e reprovou as minhas. Quando fui vereador, sempre segui o TCE, que é um órgão técnico”, comentou.

 

Paulinho também afirmou que herdou as dívidas da gestão anterior. “O contador da Prefeitura da época, cargo efetivo e sem vínculos políticos, fez um relatório técnico dizendo que as dívidas vinham do governo do Jango. Eu peguei dívidas que não eram minhas e paguei boa parte delas”, afirmou.

 

Por fim, o candidato impugnado alegou que a sessão extraordinária teve irregularidades. “No horário de início da sessão, às 19 horas, não havia quórum, estavam no plenário apenas cinco vereadores. A reunião foi suspensa, e teve vereador sendo buscado em casa para votar. Um absurdo”, concluiu.

error: O conteúdo é de exclusividade do Riomafra Mix.