Vivo e Claro perdem liderança para operadoras de médio porte

Até agosto de 2020, operadoras como Brisanet e Algar Telecom tiveram mais de 770 acessos, número superior ao atingido pela Claro e Vivo.

 

Que as operadoras de médio porte, como Brisanet Internet, Copel Telecom, Vero Internet e Algar, estão vivendo um boom em expansão territorial e tem dado trabalho para operadoras tradicionais como Vivo e Claro NET todo mundo sabe. Mas em 2020, além do óbvio crescimento para o interior do Brasil e regiões mais afastadas,  que impactou positivamente os números das operadoras regionais, a pandemia também foi um outro fator que fez com que os acessos via banda larga fixa aumentasse, principalmente com um número maior de pessoas online por muito mais tempo do que nos anos anteriores.

 

Este aumento significativo dos acessos à internet via banda larga fixa pelas 14 operadoras mais competitivas do mercado foi observado pela Agência Nacional de Telecomunicações e demonstrado pela empresa Teleco por meio de gráficos. De acordo com os dados divulgados, no ano de 2019, o número de operadoras que ultrapassavam a marca dos 100 mil acessos eram de apenas 12 e chegou a 14 em menos de um ano. O ranking não leva em consideração os acessos da Claro, Vivo e Oi.

 

A líder é a mineira Algar Telecom, que só em 2020 já teve 686 mil acessos, quase 100 mil a mais que a Brisanet, que somou 528 mil acessos até agosto. Também estão no gráfico da Teleco as operadoras Vero, Copel, Sumicity, Unifique e Desktop Internet, todas com mais de 100 mil acessos. De acordo com os dados, as 14 operadoras representam 33,0% dos 12,8 milhões de acessos à internet banda larga fixa feitos em 2020.

 

Os números indicam com precisão que algumas dessas operadoras de médio porte estão se consolidando ainda mais no mercado de telecomunicações, que apostaram nas várias compras de operadoras menores que foram feitas por elas para aumentar suas áreas de cobertura, como é o casa da Sumicity, que recentemente comprou a Mob Telecom, e a Vero Internet, que adquiriu a INB Telecom e a MKA e, consequentemente, levou para si os acessos das menores. Existem exceções, entretanto, como a Copel Telecom, que apesar de ter tido 296 mil acessos em 2020, apresentou uma adição líquida negativa de – 11 mil – diretamente ligada ao seu processo de venda que ainda não foi finalizado.

 

A Teleco revelou ainda que um dos principais motivos para esse crescimento exponencial das operadoras médias foi migração quase que completa para a fibra óptica, carro-chefe da maioria das operadoras médias. A fibra é hoje a principal tecnologia de conexão de internet banda larga fixa no Brasil. As 14 operadoras possuem juntas 8,6 milhões dos acessos via fibra até agosto de 2020, o que representa quase o triplo dos números da Vivo Fibra (3 milhões) e sete vezes mais dos acessos da Oi Fibra (1,9 mil).

 

O cenário de competição deve se acirrar ainda mais com a chegada do 5G no Brasil, cuja a implantação já está à todo o vapor tendo Claro, Vivo, TIM e Oi como as pioneiras, com as operadoras de médio porte entrando na briga pela liderança no segmento. Vale lembrar que elas já lideram a banda larga fixa no Brasil, será que vão bater de frente com grandes operadoras no 5G também? Vamos aguardar!

error: O conteúdo é de exclusividade do Riomafra Mix.