Materiais ortopédicos do Fundo Municipal de Saúde são encontrados em porão desocupado em Mafra

A secretária de Saúde explicou que se trata apenas de caixas de gesso ortopédico e por estarem vencidos e inservíveis, haviam sido doados para um terceiro, que os utilizaria em fins acadêmicos.

Continua após a Publicidade

A Câmara de Vereadores de Mafra recebeu na manhã desta terça-feira (20), uma denúncia anônima referente ao armazenamento irregular de materiais de saúde.

 

Segundo as informações recebidas, havia um depósito no porão da antiga cooperativa dos ferroviários, conhecido prédio onde por anos funcionaram as casas de shows Estação 170 e Dubai Café.

 

Diante dos fatos, os vereadores Clesiomar Witt, Edenilson Schelbauer e Eder Gielgen que estavam no momento na Casa, juntamente com um servidor, formaram uma comitiva e foram até o local.

 

Como o imóvel está sob processo judicial, os vereadores acionaram a Polícia Militar e um oficial de Justiça, que autorizou a vistoria no local.

 

 

Durante a vistoria, em um dos porões do prédio, com acesso através de um alçapão, foram encontradas cerca de 40 caixas de materiais ortopédicos.

 

As caixas estavam etiquetadas com o destinatário Fundo Municipal de Saúde de Mafra e algumas tinham a fabricação datada em 2015.

 

A Polícia Civil e o Instituto Geral de Perícias (IGP) também foram chamados.

 

 

Defesa

Em entrevista exclusiva ao repórter Douglas Dias, a secretária de Saúde de Mafra, Jaqueline Fátima Previatti Veiga, afirmou que os materiais encontrados eram apenas gesso ortopédico vencido.

 

Ela explicou que com a inauguração da UPA, em 2017, o atendimento de fraturas antes feito em parceria entre a Secretaria de Saúde e o Pronto Atendimento, passou a ser feito exclusivamente no Hospital São Vicente de Paulo.

 

Com isso, o material deixou de ser usado e, por estarem com o prazo de validade ultrapassado, e inservíveis, haviam sido doados para um terceiro, que utilizaria em fins acadêmicos.

 

Por fim, a secretária afirmou que os demais materiais encontrados na sala não possuem ligação com a Secretaria de Saúde.

 

 

Instauração de inquérito

De acordo com delegado da Comarca de Mafra, Lucas Magalhães, se forem confirmadas as informações apresentadas pela secretária, não será instaurado inquérito.

 

Ainda, segundo o delegado, os materiais serão restituídos à Secretaria de Saúde.

 

 

error: O conteúdo é de exclusividade do Riomafra Mix.