Atendimento online ao cidadão é o desafio do serviço público

Apesar de estarem adaptados ao mundo digital, quase metade dos cidadãos não conhece os serviços públicos digitais providos por seus municípios.

Pesquisa mostra desafios dos gestores públicos em relação aos atendimentos online. Foto: Divulgação

 

Continua após a Publicidade

 

Uma pesquisa feita entre outubro e dezembro de 2020 pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) mostra que 86% dos brasileiros se sentem adaptados ao mundo digital e “estão prontos para aproveitar ofertas de serviços digitais pelo setor público”.

 

Ao mesmo tempo, diz a pesquisa, “quase metade dos cidadãos não conhecem os serviços públicos digitais providos por municípios ou não os utilizam”. A diferença indica desafio.

 

Presidente da Federação Catarinense dos Municípios (FECAM), Clenilton Pereira, diz que os municípios de maior porte, com mais recursos, saíram na frente, mas que é preciso levar a tecnologia também para as cidades de menor porte. A entidade tem câmaras técnicas que oferecem auxílio aos municípios na implementação de ferramentas digitais.

 

A demanda por serviços existe e tende a crescer. Outra pesquisa – a TIC Covid-19, realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil – mostrou que 57% dos usuários de internet com 16 anos ou mais realizaram algum serviço público online no terceiro trimestre de 2020.

 

Na pesquisa anterior, com dados referentes a 2019, o percentual era de 37%. “Há uma tendência evidente que não vai mudar depois da pandemia”, diz Sedi Zanella, gerente de relacionamento da IPM Sistemas, empresa de Florianópolis especializada no desenvolvimento de sistemas de gestão pública municipal em nuvem, com atuação em vários estados.

 

Segundo Zanella, recentemente o presidente Jair Bolsonaro sancionou a chamada Lei do Governo Digital que dará força a esse movimento.

 

Além disso, em maio encerrou o prazo para que os gestores públicos apresentassem aos órgãos de controle de contas o plano de ação para implantação de um sistema unificado de gestão financeira e orçamentária – o SIAFIC. A regra prevê que os municípios se adaptem até 2023.

 

Rodovias

Durante café da manhã que reuniu o governador Carlos Moisés e secretários com representantes do Fórum Parlamentar Catarinense, nesta segunda-feira (7), o senador Esperidião Amin não escondeu o entusiasmo com o projeto do governo, aprovado pela Alesc, que destina R$ 350 milhões para rodovias federais. Iniciativa “marcante e pioneira”, definiu o senador, se dirigindo a Moisés. No encontro, Moisés levantou a bandeira da duplicação da BR-282 junto aos parlamentares catarinenses, em forma de concessão.

 

Cenário da Covid

A Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa realizará nesta quarta-feira (9), em conjunto com a Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Florianópolis, audiência pública para discutir a situação atual do combate à pandemia da covid-19, a compra de insumos para garantir a vacinação contra a doença e o reflexo do coronavírus no colapso das estruturas de saúde das redes públicas e privadas em Santa Catarina, com enfoque na Capital. O encontro será realizado por meio de videoconferência, a partir das 9h15, com transmissão ao vivo da TVAL. O encontro contará com a presença de representantes da Secretaria de Estado da Saúde, do Conselho Estadual de Saúde, além de deputados estaduais, vereadores e autoridades municipais.

 

Transparência

O presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), recebe nesta quinta-feira (10), autoridades internacionais da Transparência Eleitoral e da Conferência Americana de Organizações Eleitorais Sunacionais para a Transparência Eleitoral. Os visitantes participarão das eleições suplementares em Petrolândia, no domingo (13). Os mais de cinco mil eleitores do município retornarão às urnas porque a chapa mais votada em 2020 teve o registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral.

 

CELOS

Mesmo com os desafios da pandemia em 2020, a Fundação Celesc de Seguridade Social conseguiu atingir resultados extremamente positivos nos últimos 12 meses. De acordo com a presidente da CELOS, Vanessa Evangelista Rothermel, além de contabilizar mais de 8.900 participantes, a entidade pagou mais de R$ 365 milhões em benefícios e terminou o ano com mais de R$ 3 bilhões apenas em investimentos. Os dados estão no Relatório Anual de Informações 2020 (RAI), que traz os resultados e ações desenvolvidas pela CELOS ao longo do ano passado.

 

error: O conteúdo é de exclusividade do Riomafra Mix.