De primeira viagem: Pais compartilham expectativas e desafios da paternidade

O Dia dos Pais será especial para quatro riomafrenses que compartilharam com o
Riomafra Mix, a emoção pela chegada do primeiro filho.

Continua após a Publicidade


Poucos dias antes deste Dia dos Pais, o mafrense Fabiano Fiori ganhou o melhor presente de sua vida: a primeira filha, Manuela. A pequena veio ao mundo nesta sexta-feira (7) e segundo o pai, o momento foi o mais feliz de toda a sua vida.

Fabiano é casado com Thaís Grams e estão juntos há dois anos e sete meses. A chegada de Manuela foi planejada, mas a ficha demorou a cair quando souberam da notícia.

A pequena Manuela veio ao mundo nesta sexta-feira (7) para a alegria do casal Fabiano e Thaís.

“A Thaís fez quatro testes antes de me contar porque como ela sabia que eu queria muito ser pai, não quis me frustrar antes de ter certeza. Achamos que iria acontecer apenas em 2021, mas como tudo no nosso relacionamento caminha rápido, aconteceu quatro meses depois de termos conversado”, disse.

Durante o momento de pandemia, o pai conta que tomou todos os cuidados necessários para preservar a saúde da esposa e da bebê. “Desde que descobri que seria pai, passei a pensar por três. Todo cuidado é redobrado, pela Thaís e pela Manuela, pois elas são as minhas prioridades sempre. Quanto ao restante da família, a minha felicidade está estampada desde que descobri que iria ser pai e tenho certeza que irão entender tudo o que fizer para protegê-las, pois família é cuidado”, conta.

Emocionado, Fabiano espera que a filha carregue consigo o valor da honestidade e que tenha os pais como um exemplo para a vida. “Espero que ela seja uma menina simples e de coração enorme. Quanto à vida adulta, desejo que ela tenha sucesso, independente das escolhas dela, pois sempre iremos apoiá-la em tudo”, conta.

Ainda de acordo com Fabiano, a chegada de Manuela trouxe um significado a mais para este Dia dos Pais. “É a realização de um sonho, um projeto de vida e a constituição da família que sempre quis ter”.

Não medirei esforços

Para Alessandro, a paternidade será um misto de felicidade, alegria e responsabilidade.

Prevista para chegar em outubro, a pequena Analice é esperada com expectativa pelos pais de primeira viagem Alessandro Antony Ribeiro e Ana Caroline Ribeiro.

Casados desde 2012, o casal sempre quis ter um filho e segundo Alessandro, todo o processo de gestação foi especial. “É muito bom ver a barriga da Ana crescendo, conversar com a bebê e sentir ela respondendo através de soquinhos e pontapés”, conta.

Segundo Alessandro, no contexto de pandemia, alguns cuidados precisarão ser tomados depois que a bebê nascer. “Temos que ser conscientes desta situação. A gente ainda vai ter muito tempo para celebrar a vida da Analice ao lado das pessoas que amamos. Quando ela nascer, vamos precisar limitar as visitas somente aos parentes mais próximos”, disse.

Ainda de acordo com o pai, a paternidade será um misto de felicidade, alegria e responsabilidade. “Ser pai é ser um super-herói para o filho. É proteger, cuidar e ajudar a enfrentar todas as dificuldades que a vida impõe. O que eu mais quero é que minha filha seja feliz e o que estiver ao meu alcance para que isso aconteça, eu vou fazer. Não medirei esforços”, revela.

Meu anjo protetor

Juntos há 8 anos, Silvano e Angela esperam ansiosamente a chegada da pequena Aylla Sofia.

Silvano Cirino da Luz, casado com Angela Patrícia Fuchs, estão juntos há 8 anos e esperam a chegada da pequena Aylla Sofia para outubro deste ano. O pai lembra que o processo para ter um filho foi difícil. Como a esposa é portadora de trombofilia, o casal passou por dois abortos espontâneos até iniciar um tratamento para que ela conseguisse engravidar.

“Parece estranho, mas já tínhamos a certeza da gravidez desde o dia da concepção. Após uma semana fizemos o teste de farmácia e com 10 dias de fecundação tivemos a confirmação pelo exame de sangue. No início fui tomado pelo medo e incerteza, porém com o passar das semanas veio o alívio e a esperança de que dessa vez daria certo. Tenho participado ativamente da gestação, vou às consultas de pré-natal, acompanho os ultrassons, ajudei na preparação do quarto e até compus uma música para a minha filha, intitulada ‘Meu anjo protetor’”, conta.

Além de acompanhar a mamãe nas consultas e ajudar na preparação do quarto da bebê, o papai coruja compôs uma canção para a filha chamada “Meu anjo protetor”

Ansioso pela chegada de Aylla, Silvano espera que ela tenha gostos parecidos com os seus. “Espero que ela se interesse por esportes, pois sou corredor amador de rua e que tenha dons musicais, os quais estimularei ensinando a tocar violão, teclado e acordeon. E que ame as tradições gaúchas como as danças de salão e seja minha companheira de chimarrão”, brinca.

Ainda de acordo com Silvano, ser pai é estar presente em todos os momentos da vida do filho, sejam eles bons ou ruins, para incentivar, aplaudir e até mesmo corrigir, se for necessário.

Um propósito de vida

Djeison e Jucemara estão juntos há 21 anos e após diversas tentativas, descobriram que seriam pais da Lara, prevista para chegar no próximo mês.

Depois de muito tentar ter um filho, Djeison Chris Cordeiro Schafascheck e Jucemara Pilato Schafascheck, descobriram que seriam pais da pequena Lara no início deste ano. “Nós estávamos há anos tentando, fazendo vários procedimentos e quando estávamos quase desistindo, minha esposa veio com a notícia”, contou o pai.

A expectativa da primeira filha é grande, mas Djeison revela que tem evitado pensar muito sobre isso. “A ficha só vai cair quando a bebê chegar. Acho que vou ficar muito assustado, então estou tentando não pensar muito e deixar as emoções para quando chegar a hora”, conta.

O pai espera ainda que a filha venha com saúde e que no futuro, seja uma pessoa equilibrada e compreensiva. “Acho que cada pessoa vem ao mundo com um propósito de vida. Eu espero passar toda a experiência que temos, nosso conhecimento e nossos valores. Acho legal ser pai um pouco mais velho, depois dos 40. Talvez, aos 20, eu não conseguiria ter uma visão de mundo madura para passar para minha filha”, conta.

Segundo Djeison, ser pai é passar tudo o que sabe para o filho, para que ele possa caminhar com as próprias pernas e correr atrás de seus sonhos e daquilo que ele acredita. “Como pai, quero ajudar minha filha com seu propósito de vida e ser uma base para ela”.

error: O conteúdo é de exclusividade do Riomafra Mix.